NÃO DEVEMOS NOS CALAR, PORQUE A LUTA É DE TODOS


Por Everaldo Paixão 

Bem, como circula pelos blogs vinculados ao governo municipal afirmando que o acordo firmado entre prefeitura e o sindicato dos “SERVIDORES” (depois explico porque deixei em caixa alta a palavra servidores), fora cumprido antecipadamente e alguns questionamentos são necessários para entender o que ainda não está esclarecido.

O próprio cabeçalho da notícia veiculado dar uma denotação de um viés corporativista, e o próprio presidente do Sindicato dos “SERVIDORES” Públicos Municipais (SIMA), Tiago Silva, pode explicar, o que para nós está havendo uma tremenda contradição, e estamos assimilando esse fato de forma negativa para quem devem representar todas as categorias  e assumir também um compromisso de luta, para não acontecer um esfacelamento e uma fragilidade dos protestos (que é realmente de interesse do governo municipal e dos seus colaboradores) até que se resolvam todos os imbróglios causados pela gestão municipal a todos os “SERVIDORES”.

Queremos sim, ser mensageiros de todos aqueles que estão sendo penalizados, e é através deste canal que faremos isso com toda isenção e por isso, defender somente uma causa não é de nosso interesse.

Dinheiro no bolso de uns, faltando no bolso de outros. Calar uma categoria para enfraquecer as outras. Mês pago de forma fracionada e prefeito se gabando como se estivesse fazendo um favor em pagar salários de servidores como se fosse uma penitência. Incrível o que está acontecendo debaixo dos narizes de nossas autoridades. Estamos amordaçados, vendados e inertes diante de tanto absurdo.



Pela manhã, utilizando de um veículo de comunicação local, um aposentado demonstrou a sua insatisfação com o sindicato que havia programado um manifestação em frente ao Ministério Público hoje (07), e que isso ocorreria sendo reforçado com a entrega de um documento da representação sindical ao órgão. Para o aposentado a justificativa seria porque o promotor estaria viajando, o que não impossibilitaria de acontecer a entrega do documento e o possível protesto de alerta.

O aposentado confirma que os proventos da categoria não foram creditados nas contas, e que eles estão sendo penalizados com a atitude do SIMA de não continuar o que havia sido articulado na segunda-feira (04).

A nota da prefeitura afirma que os salários dos professores (acredito que os 60%) foram quitados, cumprindo assim o acordo firmado com o sindicato.

Como a nota da prefeitura garante que pretende direcionar os recursos que entrarão nos cofres públicos para regularizar a situação dos servidores, inclusive dos contratados, um passo atrás do sindicato, pode assegurar ao gestor municipal um fôlego para continuar empurrando com a barriga o salários dos outros servidores. Ele sabe fazer isso como ninguém e o próprio SIMA sabe disso.

A palavra “SERVIDORES” que fiz questão de deixar em negrito, e espero que não aconteça um entendimento distorcido, amplia a luta do sindicatos para todas as categorias de trabalhadores: zeladores, aposentados e pensionistas, garis, merendeiras, vigias, agentes de saúde. E que ela só deve ser interrompida, quando todas as classes forem atendidas em suas reivindicações salariais. Se isso não acontece, o sindicato vira representante apenas de uma categoria, o que nitidamente se configura em corporativismo.

O nosso espaço está aberto para as explicações do Presidente do SIMA, Tiago Silva, com quem temos uma abertura democrática para o diálogo, para entendermos melhor o que ainda não está bem explicado para os outros servidores que não receberam os seus salários, incluindo alguns temporários.

Se as informações não condizem com a verdade, o nosso canal abre espaço para maiores e melhores explicações.


Com a palavra: Tiago Silva.

Marcadores: , , ,