Relatório da Receita aponta aumento injustificado em bens da família de Cunha


Um relatório da Receita Federal aponta indícios de aumento patrimonial incompatível com os rendimentos do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), sua mulher, Cláudia Cruz, e sua filha Danielle Dytz da Cunha. A denúncia foi publicada pelo jornal Folha de S. Paulo nesta quinta-feira (7).

Segundo o jornal, o documento aponta valores considerados como aumento patrimonial “a descoberto” da família de Cunha que, juntos, totalizam R$ 1,8 milhão entre 2011 e 2014.

O relatório está sob sigilo e foi finalizado em 29 de outubro pela Divisão de Análises Especiais (Diaes) da Receita Federal. O documento afirma, de forma genérica, que a variação patrimonial tem relação com gastos de cartões de crédito.

Lava Jato

A apuração foi feita a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR) na Operação Lava Jato, uma vez que o presidente da Câmara e seus familiares são alvo de investigação no Supremo Tribunal Federal (STF) por suspeita de manter contas secretas no exterior alimentadas com recursos desviados da Petrobras. O deputado nega as acusações.

O documento não afirma, no entanto, se os gastos com cartões de créditos estão associados a uma das quatro contas mantidas no exterior.

O presidente da Câmara também foi denunciado ao STF sob suspeita de ter recebido R$ 5 milhões em propina de contratos da Petrobras. Ele é alvo de um pedido da PGR de afastamento e responde a um processo de cassação na Casa.

Dados fiscais

A Receita Federal enviou à PGR as declarações de Imposto de Renda do deputado e de seus parentes. O órgão também analisa informações fiscais das empresas da família. Em relação à filha de Cunha, foi detectado um aumento de sete vezes no patrimônio, em valores nominais.

De R$ 208 mil em 2010, ela passou a ter R$ 1,5 milhão em 2014, segundo dados de sua declaração de IR. O que teria influenciado significativamente no aumento seria uma transferência de R$ 800 mil feita por Cunha à filha em 2013.

Danielle declarou bens no valor de R$ 183 mil em 2011, R$ 537 mil em 2012 e R$ 1,2 milhão em 2013. Em 2014, informou possuir dois carros no valor de R$ 100 mil e um apartamento de R$ 1,2 milhão.

Outra investigação

Ainda segundo a Folha, outra investigação da Receita Federal teria encontrado aumento patrimonial a descoberto de Cunha referente a 2010, no valor de R$ 50 mil, que com juros e multas chegaria a R$ 100 mil. O caso está em fase de defesa do deputado.


Por meio de sua assessoria, Cunha afirmou que não possui patrimônio “a descoberto” e que desconhece o relatório.

Marcadores: ,